O que você pode fazer para trazer paz ao mundo?

war-amp-peace1Para nós, pessoas esclarecidas e espiritualistas, que ficamos chocados com tantas demonstrações de intolerância, discriminação e violência aparentemente gratuita, é importante entender o nosso papel atuante como patrocinador da energia da violência no planeta. Onde está a violência dentro de uma pessoa aparentemente justa e civilizada, como eu e você?

Está escondida por detrás das emoções distorcidas, principalmente o medo e a raiva. Energeticamente, o medo atrai a agressão. A raiva atrai a necessidade de subjugar, dominar. Dominados pelo medo ou pela raiva, manipulamos nossos parceiros afetivos. Jogamos com nossos filhos. Nos apegamos às coisas que nos dão segurança: bens, dinheiro, poder, cargos, pretensas posições na família, grupo de amigos…  Verifique de que ou de quem você tem medo. O que ou quem lhe causa raiva. Deixe as justificativas comuns que sua mente dará para validar sua raiva ou medo. Tipo: tenho medo de assalto, porque o mundo está perigoso. Tenho raiva dos que causam violência sexual porque as vítimas estão indefesas.

Deixe estas justificativas de lado, mesmo entendendo que elas têm um lado real. Penetre no seu medo e principalmente, imagine os causadores do medo, dentro de si. Penetre na sua raiva e sinta as situações e pessoas que lhe causam raiva, dentro de si. Busque estar em contato com estes fatores de incômodo. Não será confortável. E não é para ser, afinal, estes fatores lhe causam medo e raiva. Profundas emoções podem estar escondidas aí… Mas você é espiritualista. E deseja a paz para si, para os seus, para o mundo…

A violência está dentro de si. A paz também. Muitos dos episódios de medo e raiva, se você se analisar, tem a ver com a sua história – a maior parte inconsciente: a raiva e medo que havia na relação dos seus pais. O medo de abandono. A raiva porque ele traiu. O medo da pobreza e miséria. A raiva pela impotência diante de uma morte de alguém querido. O medo de não dar certo. A raiva por competir com alguém que é muito mais competente, e saber que você nunca vencerá… Estas histórias você viveu na sua infância, na juventude… Seus pais viveram também. Seus avós, e assim por diante.

Depois que ficamos adultos, a energia do medo e da raiva não liberadas, como verdadeiras entidades autônomas, precisa ser vista, reconhecida. É por isso que você sente tantas vezes medo e raiva sem justificativa. Por que aquele moleque de rua lhe deu tanta raiva? Por que aquela notícia no jornal despertou o seu medo? Por que a situação de não ser bem atendido lhe deixou furioso? Por que eu atraí um parceiro que não me respeita? Por que estou num trabalho opressivo? Para você entender e se libertar desta energia, precisa acessá-la, corajosamente. O mundo é um palco onde acontecem muitas coisas, mas quem dá o valor às experiências é a sua própria mente, devido ao que está registrado de forma consciente e inconsciente.

Diante de algo que lhe provoca, você será convidado a atacar ou fugir. Raiva e medo. Mas eu estou convidando você a observar o seu incômodo, e não agir. Perceba o incômodo, penetre no medo, na raiva… pare de fugir deles, uma vez na vida pelo menos.

Use cada momento de confronto que a vida lhe provoca para desarmar suas emoções. Saber que elas não são reais, afinal, você não está sendo atacado neste momento. Nada está lhe provocando, de verdade. Seja um observador. Só isso. E cada coisa que você fizer em sua vida, partindo deste ponto neutro, onde as emoções de medo e raiva podem passar, mas não contaminar, será um ato em direção à construção da paz. A paz na sua vida. A paz nas suas relações. A paz no universo. Pode parecer muito pouco. Talvez seja mesmo. Mas é essa parte que lhe cabe. Experimente. E perceba como este pouco pode significar muito…

logo alex possato 4

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: