Feliz Aqui e Agora!

2016.jpg

Últimos instantes de 2015…
O que se passou neste ano? Quantos aprendizados? Quantas perdas? Quantos ganhos? Em geral, dizemos que queremos um ano novo melhor. Sim! Você merece um ano novo melhor. Mas vamos perceber uma coisa: o que é o melhor? Como podemos tomar posse do bem, quando negamos os aprendizados difíceis que tivemos? Então, minha sugestão é que você possa, antes de qualquer coisa, validar todos os fatos, acontecimentos da sua vida, neste ano que se finda. Com quem você brigou? Quem brigou com você? Como esteve o seu bolso? E a sua mente e emoções: estiveram descontroladas este ano? Em quantos conflitos você se viu mergulhado? Como esteve o seu corpo, a sua saúde?
E o quanto de dinheiro você recebeu? Quanta sensação de realização? Quantas pessoas cuidaram de você? Quantas vezes a vida, de diversas maneiras, lhe estendeu a mão? Quantos pequenos milagres passaram bem diante dos seus olhos? O quanto você soube fazer por si, pelo próximo, pelo mundo? E o quanto você não estava nem aí com nada disso?

Veja as coisas como elas são. Sem tentar mudar nada.
Tudo o que ocorreu na sua vida, neste ano, é a sua história. E não irá mudar. Porque é história.

Perceba que, não importa o que tenha acontecido neste ano, se você viveu fatos positivos ou não, você está aqui. E agora. O que passou, passou. Pelo menos, deveria passar. Entenda que não importa tanto se houveram fatos difíceis na sua vida. O grande problema é que sua mente acostumou-se a julgar que determinados fatos são bons, outros são ruins. Se você prestar bem atenção, entenderá que fatos são fatos. Nem bom, nem ruim. Somente fatos. Quem dá significado às coisas que acontecem é a sua mente.

Quem sabe esteja no momento de você aprender a viver sem dar tanta importância à história, e viver mais presente. Sem dar tanta importância aos significados que sua mente dá, e viver mais presente. Olhando as coisas como elas são. Olhando você como você é. Encarando os fatos positivos da vida com reverência e gratidão. E encarando os desafios da vida, com reverência e gratidão. A vida é muito curta, para passarmos toda ela buscando realizações, e fugindo das dores. A vida é muito bela para deixarmos de apreciá-la no aqui e agora. Você é muito belo, para passar o tempo se julgando, se condenando, se maldizendo.

Que tal deixar que a história deste 2015 descanse em paz? Que tal permitir que a história de 2016 seja escrita da forma como ela deve ser? Que tal permitir-se, como uma criança pura, apreciar a viagem sentada no banco dos passageiros, admirando-se com o momento de chuva, o momento de sol? As paradas? As pessoas que passam pela estrada?

Sei que a mente, condicionada que é no fazer o certo e evitar o errado, tem muita dificuldade em aceitar a sua pouca capacidade de interferir nas coisas mais profundas da vida. A mente não reconhece a sua impotência em mudar o destino. O meu convite nestes últimos instantes de 2015 é que possamos, antes de querer interferir no nosso destino e no dos outros, aprender, com a própria mente, a validar tudo o que se foi. Todo o bom, todo o ruim. Acredito firmemente que este é o caminho da paz. Quando tudo aquilo que vem é aceito da forma como é, tudo está bem. Então, desejo um Feliz Agora. Aqui, e agora!

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: