O homem com medo de amar

ser homem

 

“Não quero ser um gênio. Já tenho problemas suficientes ao tentar ser um homem”

Albert Camus

Ainda iniciando nesta aventura de ser co-facilitador do círculo do sagrado masculino, Diamante Bruto, uma coisa parece clara: nós temos medo do amor. Nós temos medo de amar. Nós temos medo de abrir o nosso peito e receber uma punhalada. E carregamos uma gigantesca culpa por não sabermos nos entregar totalmente a uma mulher. Desviamo-nos em brincadeiras, sejam elas sexuais, ou vícios como o álcool, drogas, pornografia, jogos, trabalho, distrações mil, para não ter que olhar nos olhos de uma mulher, despirmos nossas roupas, baixarmos nossas armas e mostrar o quanto somos vulneráveis.

Ao contrário, quando estamos despidos, nos armamos mais ainda. Empunhamos nossa espada ereta, mesmo que seja a base de pílulas azuis, para nos defender daquilo que achamos ser um ataque feminino: o amor que destrói nossas estruturas, nos abre para o sentimento, nos torna totalmente indefesos, impotentes.

Alexander Lowen diz, em Amor e Orgasmo: “Entregar-se ao amor implica submissão e dependência da mulher, na qualidade da Grande Mãe. Ele resiste sendo reduzido ao nível de filho-amante. Sua incapacidade de entregar-se impede-o de constelar um relacionamento maduro com a mulher, e ele fica paralisado num estágio adolescente. O resultado disso é uma atitude adolescente diante do sexo e do dinheiro, sendo que ambos são usados para glorificar seu ego”.

Vejo homens cansados disso. Cansados da desconfiança. Querendo ser acolhidos pela parceira. Entendidos. Percebidos em todos os seus esforços em ser homem, valorizados nas suas tentativas tantas vezes naufragadas em serem firmes, provedores, defensores dos espaços, líder da família. Homens que olham suas mulheres que muitas vezes ganham mais que ele. Mandam mais que eles. Brigam mais que eles. Transam melhor que eles. Homens que não sabem mais qual é a sua função. Que tantas vezes se sentem melhores cuidando dos filhos, da casa, da alimentação… Homens que por vezes são tomados pela criatividade, pelos devaneios, pela arte da vida, pelas influências lunares… algo ensinado como nada masculino…

A aventura continua. Conversar com homens, ouvir suas histórias, suas vitórias, suas derrotas, compartilhar nossa energia de homens, guerreiros que esqueceram que a grande força vem da união dos irmãos, e não da competição. Esta é a viagem que o grupo Diamante Bruto propõem. Por muitas razões, mulheres da nossa vida, inconscientemente, tiraram as nossas forças. Mas elas também precisam de homens. Homens fortes. É o nosso dever resgatar nosso poder. Fortes, saberemos nos entregar ao amor.

Vivência: Diamante Bruto – o poder do Sagrado Masculino – Brasília – DF
Data: 04 de abril de 2016
Horário: das 18h30 às 22h00 horas
Local: Auditório do Medical Center
607 Norte (Entrada pela L-3 Norte/UNB)
Valor sugerido: R$ 80,00
Informações: atendimento@alexpossato.com
Inscrição:  Formulário Google para Inscrição

 

Vivência: Diamante Bruto – o poder do Sagrado Masculino – São Paulo – SP
Data: 21 de abril de 2016
Horário: das 18h30 às 22h00 horas
Local: Espaço Flor de Lis
Rua Agostinho Gomes, 2194 – Ipiranga – São Paulo (25 minutos do metrô Sacomã)
Valor sugerido: R$ 80,00
Informações: contato@tucogabriel.com ou atendimento@alexpossato.com
Inscrição:  Formulário Google para Inscrição

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: