Pacificando pensamentos e medos (vídeo)

Oi gente! Aproveitei mais um post que fiz no Instagram, a partir de uma frase de Bert Hellinger, para instigar você a pensar numa coisa: de onde vem suas idéias, crenças, medos? De quem são estes conflitos que carregamos dentro de nós? Será que precisamos combatê-los? Enfim, praticante de tantos caminhos espirituais e de autoconhecimento, sempre fui confrontado com esta questão: lidar com os pensamentos revoltados e os medos mais infundados que existem em mim. E fui descobrindo novas formas de olhá-los. E agora, compartilho com você, a partir do ponto de vista da constelação familiar… Quem sabe possamos conviver em paz com “nossas neuras”?

Você está preso numa relação antiga? (vídeo)

Como as relações afetivas anteriores influenciam você, hoje? Você pode conviver com as relações anteriores numa boa, e isso não atrapalha de alguma forma sua relação atual? Ou é importante fazer uma despedida? E como se desligar destas relações antigas?

O casal de terapeutas Alex Possato e Lu Cerqueira conversam com você sobre esse tema, que afeta tantas pessoas, e falam do tema a partir do ponto de vista da constelação familiar sistêmica.

Curta o vídeo, assine o canal e deixe seus comentários e sugestões!

Adoção ao olhar da constelação familiar sistêmica

Desta vez, Alex Possato fala sobre um tema muito próximo a ele: adoção. Como será que a constelação familiar vê o movimento de quem deseja adotar? Como podemos “fortalecer” o filho adotivo? Bert Hellinger aprova ou desaprova o ato de adotar?
Sobre isso e muito mais, Alex falará com você, auxiliando-o a abrir sua percepção sobre este tema, tão próxima a grande parte dos brasileiros.

Conheça o trabalho de Alex Possato acessando:
Site e blog: http://www.alexpossato.com
Instagram: https://www.instagram.com/alexpossatooficial/
Facebook: https://www.facebook.com/alexpossatooficial/

 

A mãe dominadora (vídeo)

Vídeo novo no ar!
Sabe aquela mãe que ocupa todo o espaço da filha, e isso até parece “cuidar”, mas acaba se tornando uma forma de aprisionar? E o pior: ela também, por questões mal resolvidas com o pai, acaba jogando esta filha contra ele, transformando-a inconscientemente numa aliada contra o masculino, o que provoca uma grande dificuldade da filha em se relacionar, confiar e poder se abrir para o amor?
Este é o tema do vídeo que acabo de colocar no meu canal do Youtube! Vá lá, assine o Canal, curta o vídeo, comente!!!!