Constelação Familiar em São Paulo com Alex Possato

12. Post Constelação Grupo sp

Amanhã estarei me encontrando com você na última constelação em grupo que realizarei, em São Paulo! Depois, somente em janeiro, após um período de férias, retiro de meditação e suaves planejamentos. Sim, suaves… porque vivemos numa neura muito louca de realização, como se isso fosse levar a algum lugar. A constelação ensina a respeitamos os ciclos da vida. O tempo da vida. O nosso tempo. Estou comprometido a trazer mais paz, presença e silêncio para o ano de 2019… Realizar sim! Mas com atenção plena. Passo a passo. Por isso, se você se sintoniza com isso, este é o meu convite. Aprendermos juntos a andar desta forma.
Amanhã será o encerramento deste ciclo de 2018 e o início desta nova fase!!! Se sentir chamado, venha!!!

12 de dezembro de 2018 (quarta-feira)
Constelação Familiar em grupo ( 3 vagas ) – das 18:30 às 22h
Valor para constelar: R$ 500,00
Valor para participar: R$ 50,00
Local: Rua Dr. Neto de Araújo, 320 (sala de reunião) – Vila Mariana (5 minutos do metrô Vila Mariana)

Inscrição: https://goo.gl/forms/MnAPbb5FIbVcZtch2

Tornar-se facilitador de constelação familiar – parte 3 (vídeo)

alex possato2

 

Olá, gente! Este é o último vídeo da série de 3 que separamos no nosso canal Constelação Essencial, no Youtube, dando 4 itens importantes para a pessoa que deseja se tornar um constelador.

Falamos agora dos últimos 2 tópicos que guiam o aprendizado da pessoa que deseja ser facilitador de constelação familiar:
a) O entendimento profundo das Ordens do Amor e das Ordens da Ajuda
b) Laboratório: a utilização da própria vida e das próprias relações como “campo de experimentação” das Ordens e da Constelação Familiar
O facilitador precisa estudar muito, entender, primeiro intelectualmente, e depois colocar em prática as Ordens do Amor:
– Pertencimento
– Hierarquia
– Dar e receber
E as Ordens da Ajuda são as ordens que regem a “ajuda”, o ato de auxiliar o seu cliente, seja você um terapeuta, advogado, assistente social, sacerdote ou outra pessoa que utiliza a constelação familiar sistêmica como instrumento: é importante verificar se estamos realmente ajudando a pessoa que desejamos ajudar, dando força para que ela siga por si mesma na vida, ou se estamos tirando a força, tornando-a dependente e fraca.
E para que possamos entender profundamente as Ordens, é necessário analisarmos a nossa própria vida: nossas relações familiares, afetivas, profissionais, e perceber onde estamos fora do nosso lugar, onde deixamos de ser filho em relação aos pais, ou onde transferimos nossas dores e emoções distorcidas aos nossos filhos. Onde nos percebemos como pai ou mãe nas nossas relações afetivas, deixando de ser parceiros. E assim, podemos ir ajustando nossa participação nas relações, tornando-nos mais leves, mais felizes, mais livres…