Você sabe lidar com a raiva?

raiva

Quando criança, tive que engolir muita raiva. Com muitas mudanças, muita agressão, muito descaso, eu era uma bomba relógio. Mas que era severamente punido nos atos de rebeldia. Quando desobedecia, castigo. Quando me comportava, recebia algum agrado, a sutil corrupção que toda a família faz. Um presentinho aqui, um agrado ali. Porém, para piorar, meu irmão recebia agrados melhores. Pelo menos ao meu olhar infantil. E o ódio espumava dentro de mim.
Aprendi a não confrontar diretamente as pessoas, porque eu não conseguia ganhar. Então, eu manipulava aqui e ali, fingia, enganava e buscava benefícios escondidos, para ter as coisas que queria. Fui programado a não manifestar minha raiva. Além de tudo, é pecado, diziam!
Cresci, sem aprender a lutar pelos meus objetivos. Fazia tudo pelas beiradas. Me aproximava das pessoas influentes. Seduzia com minha inteligência e charme. Conseguia coisas, mas a que preço! O preço da vergonha de não me bancar. Escondi tanto minha raiva, que achava que não tinha. Mas sempre fui uma bomba relógio. Que um dia, explodiu. Quanto acabou a grana. Quando acabou o casamento. Quando acabou a empresa. Quando acabou minha carreira. Acabou minha paciência. Graças a Deus!
Tornando-me terapeuta, verifiquei, que as pessoas que massacram a raiva para debaixo do subconsciente, ficam paralisadas. E dependentes.
Estas pessoas fazem isso porque, assim como eu, tem dores profundas, foram submetidas às ordens de forma agressiva, humilhante. Ficam então, sem força para a vida. Sem força para os próprios objetivos. Esperando alguém que faça por elas.
Conforme vamos nos terapiando, não tem jeito: acessamos a raiva. E se não a controlarmos, iremos agredir. A raiva descontrolada é tão prejudicial como a reprimida: ambas não servem para nós, pois estão a serviço da dor. Da dor do passado.
Tive que aprender a validar minha raiva. Meu ódio. Por tudo o que aconteceu. Por tantos maus tratos. Mas de uma forma sadia, através de dinâmicas e auxílio de pessoas preparadas para me acompanhar neste processo. E conforme isso foi acontecendo, pasmem: minha vida começou a fluir. Comecei a ir atrás dos meus objetivos e conquistá-los! Estou num processo ainda de ficar realmente bem com o passado. Coisa que não aconteceu totalmente. Nem sei se acontecerá. Mas já vejo o quanto foi importante toda esta jornada. Inclusive todos os destratos na infância: me fizeram ver o quão forte eu sou!
Olhar para a raiva, conscientemente, é um caminho para o sucesso!

Hoje coloquei no Youtube um vídeo falando sobre a Preguiça e sua relação com a raiva… acessem meu canal Alex Possato Oficial!https://youtu.be/LmO4ILFV3Cs