Traição, triangulação e amantes (vídeo)

 

Respondendo a duas perguntas feitas pelas nossas seguidoras Gisele e Gabriela (assinem nosso Canal e vamos interagir!), falo sobre um tema bem polêmico: a triangulação, traição e amantes. Explico a origem da triangulação (que é sempre em casa, na família), o posicionamento fora de ordem que entramos quando nos colocamos a favor ou contra o pai ou a mãe – nos aliando a um e confrontando o outro, e como isso repercute na vida adulta. Explico principalmente que a carência que a criança sente quando não é vista, e ainda é jogada no meio da relação dos pais, tendo que se posicionar como se fosse um adulto, acaba gerando no futuro relações também conflituosas, onde o casal não se comporta como adulto, e fica brigando por questões emocionais que deveriam ser resolvidas com os pais. Um parceiro jamais poderá ser pai ou mãe do outro. A não percepção disso leva a pessoa a buscar novas e novas relações – de certa forma, buscando o amor perdido pelo papai (para aqueles que buscam homens) ou da mamãe (para aqueles que buscam mulheres). Bem, tem muita coisa neste vídeo, então o melhor é você dar uma olhada!
Curta o vídeo e assine o canal, gente! Assim vocês apoiam o crescimento constante do trabalho, levando mais e mais informações para vocês e muito mais pessoas!

Conheça o trabalho de Alex Possato acessando:
Site e blog: http://www.alexpossato.com
Instagram: https://www.instagram.com/alexpossatooficial/
Facebook: https://www.facebook.com/alexpossatooficial/

O caminho para a prosperidade

caminho5

 

Durante toda a sua vida, você está sendo preparado para assumir o lugar que é somente seu. Todos os cursos, todos os empregos, todos trabalhos sociais, todas as igrejas, grupos de estudos… nada foi colocado em seu caminho aleatoriamente. Faz parte de uma grande orquestração, onde Algo Maior sabe exatamente o aprendizado que espera extrair de si.

Mesmo que, aparentemente, você esteja no caminho errado, isso é somente uma ilusão. Não existe caminho errado. Existem caminhos. Às vezes, os caminhos se acabam, e começam outros. O sinal deste “acabar” é o sofrimento. A falta de prazer contínuo. A frustração. A escassez de dinheiro. Problemas de saúde ou emocionais. Talvez signifique que você está insistindo em algo que já foi. E não está deixando ir. Mas se você está insistindo e sofrendo, pode significar também que você está negando o aprendizado do caminho apresentado. E se for isso, não tenha dúvidas. Mesmo que você abandone o caminho, ele voltará. Com outra cara. Mas voltará.

Mudamos o caminho, ou vemos novas nuances do mesmo, quando completamos o aprendizado. Quando podemos verdadeiramente agradecer pelas experiências, pelos aprendizados, pelo dinheiro conquistado, pelas pessoas que cruzamos na estrada, pelos tutores que nos proporcionaram estar neste lugar. Pare e olhe para o lugar onde você está. Olhe para trás, para as pegadas deixadas na estrada. Quantas vezes esquecemos que foi papai ou mamãe quem nos abriu as portas? Um parente? Ou um ex-marido? Uma ex-esposa? Um amigo que emprestou o dinheiro para que tudo começasse? Ou mesmo o banco? Um órgão do governo? Uma pensão herdada? Uma indicação de alguém, que nos colocou a andar? As palavras motivadoras de outros? Uma religião ou um mestre que nos iluminou nas horas sombrias? Quantas pessoas sustentaram nossas necessidades, enquanto andávamos?

Se algo está pegando no seu caminho, experimente perceber o quanto de gratidão você verdadeiramente tem pelas estradas por onde andou. Liste uma a uma. Desde criança, até agora. Veja quem foram as pessoas importantes. E quando se deparar com o descaso ou ingratidão, o que será muito normal, simplesmente diga: sinto muito! Eu não estava reconhecendo o seu valor! Eu nunca consegui olhar nos seus olhos e dizer: o que vivemos foi muito bom, mas agora, cada um segue o seu caminho. Sinto muito! Muito obrigado! Você está no meu coração.

E continue a andar. O caminho se faz por si mesmo. Você é um mero personagem da paisagem. Ativo, sim, enquanto consegue interagir com alegria, perseverança, criatividade, leveza, compromisso. Se isso não é possível, pare. Pare novamente. Olhe para si, e perceba: onde não estou conseguindo ser grato? Por quem não tenho profunda gratidão e respeito? Onde guardo mágoas escondidas, ressentimentos, raiva, culpa, que acabam transformando, mais cedo ou mais tarde, todas as estradas por onde ando num caminho de insucesso, frustração e cansaço?

Gratidão é a chave para a libertação. Mas esta chave é conquistada por merecimento, e não através de um exercício mental. A gratidão surge quando conseguimos mergulhar verdadeiramente nas profundezas do inconsciente, e relembrar o quanto desprezamos as dezenas, centenas, milhares de situações onde recebemos tanto, tanto, tanto, mas por alguma mágoa, por não ter sido da forma, do jeito ou no tempo que queríamos, dizemos: não valeu.

Valeu. Palavra que lembra “valor”. Você está com problemas em relação aos valores na sua vida? Ao dinheiro? Ao reconhecimento do próprio valor? Que tal experimentar reconhecer o valor das pessoas que andaram ao seu lado? Quem seria você, sem as experiências, boas e más, com seus pais? O que seria de você sem aquele marido, aquela esposa? O quanto você cresceu dentro daquele emprego que, hoje, você diz que foi um erro? O quanto você aproveitou financeiramente daquela herança, daquela pensão, daquele amigo que lhe pagava tudo, da partilha do divórcio? Problemas de valor, significa que você não reconhece o seu valor. Se você não reconhece o seu valor, quer dizer que você não reconhece aqueles que investiram em você, transformando-o na pessoa que você é hoje.

Não se culpe. Nós somos ingratos por natureza. Como crianças, gostaríamos que tudo fosse do nosso jeito, e temos dificuldade de reconhecer o que os outros fazem. Não temos uma supervisão dos fatos da nossa vida, para interpretar, como adulto, para tudo o que foi recebido.

O convite é: pare! Olhe onde você está. Olhe para trás. E reconheça tudo o que foi andado. Do jeito como foi. Diga a cada pessoa que reconhecer como um investidor na sua vida: obrigado por investir em mim. Muito obrigado! Se puder, solte um grande suspiro. Encha os pulmões o máximo que puder, e solte. Mais um. E mais um. Sim… foi assim que você chegou aqui. Está pronto para olhar para o outro lado, agora? E dar um passo a mais, nesta estrada? Ou ainda precisa um tempo parado, para perceber se existe espaço para a gratidão florescer em seu coração? Veja onde você está. Permita estar no lugar que você está. A estrada é infinita, e ela esperará o tempo necessário.

Alex Possato